top of page

Gêneros musicais III


Neste artigo falaremos de 3 gêneros musicais que estão presentes na cultura brasileira. No entanto, será desenvolvida neste texto, uma visão panorâmica de gêneros das regiões sul, norte e nordeste.

Vale lembrar, que alguns gêneros que serão apresentados, são fronteiriços. Ou seja, são músicas que estão presentes também na cultura de países que fazem fronteira com o Brasil.

Contudo, alguns estilos musicais são idênticos e têm nomes de gêneros diferentes, justamente por causa da linguagem de cada país.

Neste sentido, abordaremos também algumas semelhanças entre estilos de países diferentes. Semelhanças que estão expressas em compassos, acentuação, instrumentação e outras características musicais.

Maracatu

O maracatu é um ritmo e gênero musical típico do nordeste Ele nasceu em Pernambuco e se desenvolveu mais nesta região. Porém, o maracatu não é apenas música, ele abrange a dança e também o ritual religioso e sincrético.

No que diz respeito ao ritmo, existem dois tipos de maracatu. Essa diferença diz respeito a suas diferentes batidas ou baques.

Assim, existe o maracatu nação, que possui o baque virado e o maracatu rural que possui o baque solto.

O maracatu nação é mais comum na área metropolitana do Recife, sendo o mais antigo e com características afro-brasileiras mais urbanas. neste maracatu o batuqueiro responsável pela percussão é a figura central

Por outro lado, o maracatu rural é característico da cidade de Nazaré de Mata ( zona da mata – norte de Pernambuco) e traz também a característica afro-brasileira, porém, a figura principal deste maracatu é o caboclo de lança.

A princípio o maracatu é um ritmo que se transforma a cada época, quanto a sua apresentação e instrumentação. No entanto, quanto à sua origem, o maracatu nação tem seu registro mais antigo por volta de 1711.

Contudo, só pelos registros históricos de jornais não é possível precisar a sua origem, o que sabemos é que sua origem é de matriz africana. Porém, houve o sincretismo, a aculturação e a miscigenação cultural.



Blocos ou agremiações de maracatu

Um dos grupos de maracatu mais antigo é o maracatu Elefante. Esta agremiação foi fundada em 15 de novembro de 1800 pelo escravo Manuel Santiago. Vale lembrar, que o nome desta agremiação deve-se ao fato do animal ser protegido de Oxalá, orixá associado à criação do mundo.

O maracatu é um espetáculo musical, teatral, ritualístico e de dança. Assim como parte deste complexo espetáculo, existe a música, o ritmo, a dança e os personagens teatrais.

No maracatu elefante, fazem parte os seguintes personagens:

  • Rei e rainha

  • Princesa com suas bonecas que representam o Deus calunga

O maracatu elefante usa Três calungas: Bonecas negras

  • Dona leopoldina representa o Orixá Iansã

  • Dom Luís representa o Orixá Xangô

  • Dona Emília representa o Orixá Oxum

Vale lembrar, que este maracatu é conduzido por uma matriarca, enquanto os outros são liderados por figuras masculinas.

A instrumentação do maracatu inclui: Alfaia ( tambor grande), instrumento que dita o baque da música. Além disso, são acrescentados a caixa, ganzás e um gonguê (agogô)

Milonga

Este gênero musical é típico do Uruguai, da Argentina e se encontra no Brasil na região sul. Vale lembrar, que as cidades fronteiriças como uruguaiana, Bagé, Chuí, Alegrete, São Borja e outras, possuem mais forte a cultura deste gênero

O gênero tem origem na cultura gauchesca presente na região sul brasileira, na Argentina, e no Uruguai, mais especificamente.

Contudo, a cultura gauchesca se expande por toda América latina, tendo a figura do gaúcho como um personagem nômade sendo a sua música típica a milonga.

A música possui compasso binário seu acompanhamento no violão (guitarra) é feito em 6/8 geralmente em dedilhado.

Apresenta-se e, dois estilos diferentes:

  • Milonga campeira: milonga da região do pampa sulista

  • Milonga Cidadã: Forma tardia criada em 1931. Milonga com estilo sentimental criada por Sebastián Piana.

Milonga: instrumentação e representantes

A palavra milonga significa em sua etiologia, palavrório, porque na característica do gênero milonga estão longas narrativas cantadas. Na sua instrumentação destacam-se: O violão, violino e sanfona.

Os principais expoentes entre compositores e cantores que se destacaram neste gênero foram:

Alfredo Zitarrosa, maior divulgador deste gênero no Uruguai. Porém, outro compositor e cantor importante foi Atahualpa Yupanqui da Argentina que divulgou suas composições por toda América latina, principalmente na voz de Mercedes Sosa.

No que se refere a milonga como dança, é importante lembrar que a milonga na Argentina é uma dança da mesma geração do tango. Contudo, no Rio Grande do Sul a milonga também se apresenta como dança, só que mais próxima do fandango gaúcho.



Carimbó

Este gênero, também chamado de Korimbô, é originário da região norte e amazônica do Brasil e típico do Pará. Teve origem entre os agricultores paraenses. Possui uma sonoridade indígena e é instrumentalizado com maracás e tambores, violão e até guitarra elétrica.

Este ritmo de origem indígena, miscigenou-se com a cultura africana. Vale lembrar que ele era um ritmo proibido em Belém do Pará em 1880, por provocar desordens.

A propósito o carimbó teve muitas transformações, uma dessas transformações é o surgimento da guitarrada, um gênero instrumental praticado com guitarra elétrica que mistura carimbó, merengue e mambo.

Um dos expoentes deste gênero derivado é o mestre Vieira que desenvolve solos e improvisos em sua guitarra.

O carimbó é também uma dança de roda típica do nordeste do Pará. Muito popular entre os nortistas e nordestinos, é também conhecida como pau de corda, samba de roda do marajó e baião típico de marajó.

Entre suas características está a dança em pares e a marcação por movimentos giratórios.



14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page