top of page

Harmonia funcional (parte 1)


A harmonia funcional estuda basicamente a função dos acordes pertencentes ao campo harmônico de suas respectivas tonalidades. Vale lembrar que as funções principais da música e da harmonia são tensão e relaxamento.

Sobre estes dois pilares musicais se edificaram toda teoria melódica de contraponto e sua relacional teoria harmônica. O estudo das funções harmônicas é importante para a composição, improvisação, arranjos e análises musicais.

Um dos mais importantes teóricos da harmonia funcional foi H J Koellreutter, mas muitos pesquisadores e compositores estudaram a função dos acordes anteriormente como: Hugo Riemann. Max reger e herman Grabner.

Crise da estrutura tonal

É importante lembrar, que no estudo de composição erudita contemporânea a harmonia tonal e funcional se tornou obsoleta, porque o tonalismo entrou em crise no começo do século XX.

A crise composicional foi motivada pelo fato da arte do século XX não tolerar mais nenhuma amarra que incidisse sobre o trabalho criativo dos artistas. Esta motivação pela liberdade criativa atingiu não somente a música, mas a pintura, escultura e o teatro.

Outro fator importante que contribuiu para a crise composicional musical foi o alargamento do campo tonal. Por causa da utilização de todos os recursos tonais, principalmente por Richard Wagner no final do século XIX, ficou impossível fazer música tonal sem recair em uma imitação de tudo o que já se fizera na composição musical.

Campo harmônico e primeira lei tonal

Na harmonia funcional entende-se como função a propriedade expressiva de um acorde em relação aos outros dentro da estrutura harmônica.

Esta estrutura é determinada pela relação de todos os acordes do campo harmônico com o centro tonal que é o acorde de tônica.

Vemos a seguir o campo harmônico de dó maior e destacamos os seus acordes mais importantes: o acorde de primeiro grau ( a tônica), o de quarto grau ( a subdominante) e o de quinto grau ( a dominante)

Tom:C

C Dm Em F G Am Bm5-/7

I II III IV V VI VII

Lembrando os dois pilares da música que são tensão e relaxamento, na harmonia funcional as funções principais são repouso ( relaxamento) e movimento ( tensão).

Contudo, na função de movimento existe o movimento de afastamento e o de aproximação.

Exemplo gráfico

Repouso: acorde de tônica (I) DO MI SOL - C

Movimento de afastamento: acorde de subdominante (IV) FA LA DO - F

Movimento de aproximação: acorde de dominante (V) SOL SI RÉ - G


Relação das notas em comum, acordes vizinhos de quinta:

FA—5º----DO---5º----SOL.

Tonalidade de Dó maior

F C G

FA LA DO MI SOL SI RÉ

Tonalidade de Dó menor

Fm Cm G

FÁ LÁb MIb SOL SI RE

Exemplo de sequência harmônica com a primeira lei tonal

Harmonia simplificada da música “Asa Branca” de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.

Para a análise harmônica se utiliza a cifra analítica, ou seja, para o acorde de tônica – T, para o acorde de subdominante – S e para o acorde de dominante – D.

4/4 C ] F ] G ] C ] C ] F ] G ] C ]

T S D T T S D T

É importante lembrar que a estrutura harmônica que tem a sequência T S D T, possui uma concordância lógica com as funções harmônicas. Ou seja, a música começa com tônica (T) porque está em repouso, posteriormente a música vai para um acorde de movimento de afastamento para desenvolver-se, a subdominante (S).

Para finalizar a música é conduzida para um acorde de movimento de aproximação, a dominante ( D) que prepara para o fim que é o repouso final na tônica ( T).

Segunda lei tonal

A segunda lei tonal se fundamenta no estudo dos acordes secundários que são os acordes vizinhos de terça das funções principais. Os acordes da segunda lei seguem a mesma função dos acordes principais.

Exemplos na tonalidade de dó maior

Acorde de tônica: C – DÓ MI SOL

Vizinhos de terça do acorde de tônica que tem função de repouso

LA DO MI SOL SI

LA DO MI – Am: Tônica relativa com função de repouso

MI SOL SI – Em: Tônica anti-relativa com função de repouso

Vizinhos de terça do acorde de subdominante que tem função de movimento de afastamento:

FÁ LÁ DÓ MI

RÉ FÁ LÁ – Dm: Subdominante relativa com função de movimento de afastamento.

LA DO MI – Am: Subdominante anti-relativa com função de movimento de afastamento.

Vizinhos de terça do acorde de dominante que tem função de movimento de aproximação.

MI SOL SI RÉ

MI SOL SI – Em: Dominante relativa com função de movimento de aproximação

SI RÉ FÁ – Bm7/5-: Dominante anti-relativa com função de movimento de aproximação.

Sequências harmônica que utilizam a primeira e segunda lei tonal;

1- 4/4 C ] Am ] F ] G ]

T Tr S D

Cifra analítica e função

T – Tônica: Função de repouso

Tr – Tônica relativa: Função de repouso

S – Subdominante: Função de movimento de afastamento

D – Dominante: Função de movimento de aproximação

2- 4/4 C ] Em ] F ] G ]

T Ta S D

Cifra analítica e função

T – Tônica: função de repouso

Ta – Tônica anti-relativa: Função de repouso

S- Subdominante: Função de movimento de afastamento

D – Dominante: Função de movimento de aproximação

1.055 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page