top of page

História da educação musical II



Posteriormente, a idade média e a renascença surgem a idade moderna e o pensamento cartesiano no século XVII. As mudanças epistemológicas que acontecem nesta época irão influenciar o pensamento ocidental nos próximos séculos.

A educação musical não fica de fora deste processo histórico e científico. O raciocínio lógico-matemático de Descartes é o centro de todo conhecimento .

A investigação é baseada em dados objetivos e o caminho para se chegar na suposta verdade é por meio de idéias claras e distintas.

Na educação musical, os conservatórios criados no período renascentista, estarão focados para o profissionalismo musical. Vale lembrar, que esta transformação só ocorrerá de forma sistematizada no século XVIII

Nova perspectiva social a respeito da criança

A educação musical também é influenciada pela perspectiva social que influenciou as escolas regulares. Esta perspectiva vê a criança com outros olhos na idade moderna, diferente da idade média e renascença. Assim, segundo Philippe Ariés, no século XVII ocorrem dois fenômenos diferentes:

  • Especialização demográficas das idades: Infância dividida em classes de 5-7 e 10-11

  • Especialização social: Dois tipos de ensino, um para o povo e outro para a burguesia e aristocracia.

Contudo, mesmo que a educação musical tenha sido influenciada pela nova visão sobre a criança, no começo da era moderna a educação musical ficou centrada na relação mestre-discípulo. Neste sentido, foi só no século seguinte que o ensino de música recebeu uma sistematização


Educadores, pensadores e educação musical - Rousseau

O século XVIII foi permeado de filósofos e educadores que analisaram o valor da música na educação e nas escolas. O primeiro destes teóricos é Jean-Jacques Rousseau, o filósofo da natureza. Para este pensador o homem é originalmente bom, sendo a sociedade que o corrompe. Rousseau foi o primeiro pensador da educação a esquematizar a educação musical para crianças.

Para o pensador as canções devem ser simples e não dramáticas. Por meio das canções a criança pode chegar na flexibilidade, sonoridade e afinação. Para ele, nos primeiros anos a criança não deve ter lições de leitura musical.


Jean-Jacques Rousseau
Rosseau - teórico musical

Pestalozzi

Na mesma linha de Rousseau surgem outros pensadores e educadores que atribuem a música, uma grande importância na educação infantil e para jovens.

Johann Heinrich Pestalozzi, um educador suiço propõe como Rousseau, uma educação musical voltada para prática e experimentação de cunho afetivo.

Vale lembrar que a pedagogia experimental é algo que se cultiva muito nos dias atuais, fato que nos faz ter ideia da modernidade de Pestalozzi e de seu pensamento avançado para época.

A proposta de Pestalozzi antecipa muitas proposta da escola nova e do construtivismo em relação a música, basta ver os princípios de Pestalozzi para a educação musical

  • Ensinar sons antes de ensinar signos

  • Incentivar a observação auditiva e a imitação de sons, tornando aprendizado ativo e não passivo

  • Ensinar um elemento da música por vez: Ritmo, melodia e expressão, antes de qualquer execução de uma partitura.

  • Fazer a criança trabalhar cada elemento musical antes de passar para o outro


Teoria de Pestalozzi

Friedrich Herbart

Este educador alinha-se com as ideias naturalistas de Pestalozzi e Rousseau. Contudo, a proposta de Herbart vai de encontro a um conservadorismo científico.

Para ele, a música tem que ser desenvolvida por meio de uma rotina de atividades e valoriza dados da psicofísica e da psicologia nascente na época.

A suas idéias a respeito do ensino da música influenciou muito o pensamento educativo musical norte-americano.

A sua educação musical é uma metodologia linear que desenvolve em 4 princípios:

  • Partir do conhecido

  • Associar o novo ao já adquirido

  • Basear a didática na experiência mental do aluno

  • Obedecer os passos da aprendizagem: esclarecimento, associação, sistematização e articulação


Herbart - pedagogia como ciência

Conclusão

Para concluir vimos até aqui como foi sistematizado o ensino musical no século XVIII. Neste sentido, podemos vislumbrar a influência do pensamento cartesiano na educação musical e também do naturalismo.

Contudo, os conservatórios que existiam na renascença continuaram a existir só que para um ensino profissionalizante que se sistematizou ainda mais no romantismo. Vale lembrar, que este ensino profissionalizante ainda existe e são preparatórios para músicos de orquestra e músicos profissionais.





12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page