top of page

Musicoterapia e Afasia


A Afasia é um distúrbio que afeta a capacidade comunicativa do ser humano, sua causa é diversa, indo desde um acidente vascular cerebral (AVC) até traumas psíquicos ligados a vivências negativas.

Primeiramente, na musicoterapia é importante o trabalho com a expressão sonora vocal do paciente, como um canal de comunicação. Porém, essa expressão sonora vocal não é a única que precisa ser trabalhada, ela é parte de um todo dentro dos recursos da musicoterapia.

Neste sentido, a utilização de instrumentos musicais como a percussão elementar e outros de origem folclórica são complementares à utilização da expressão sonora vocal. Vale lembrar que estes instrumentos podem ser adaptados aos problemas físicos que podem acompanhar o quadro de afasia.

Sintomas de afasia

A afasia se configura como possível sequela de processos inflamatórios, neoplásicos, traumáticos e tóxicos, Estas sequelas afetam áreas corticais e subcorticais do hemisfério dominante, relacionados com as funções linguísticas.

A pessoa com afasia é afetada psicologicamente em sua sensação de unidade existencial e de continuidade. Neste sentido este sintoma aparece como interrupção desta sensação.

Vale lembrar que no tratamento musicoterápico de afasia é imprescindível o apoio e a interação familiar.

A manifestação da afasia se dá por meio dos transtornos de expressão e da recepção do código simbólico da linguagem falada ou escrita.

A manifestação da afasia de forma pura é pouco frequente, segundo a prática clínica. Neste sentido ela se manifesta coligada com outros sintomas como:

  • Transtorno das atividades cognitivas

  • Transtorno na expressão gestual intencional

  • Afeta as atividades da vida diária: vestir-se e mover-se

  • Altera o senso de percepção



A atuação da musicoterapia

A princípio o ponto fundamental da musicoterapia para o tratamento da afasia é a aquisição da individualização. neste sentido, é necessário um trabalho de regressão psíquica para os estágios da aquisição da individualidade e a posterior aquisição da linguagem.

No desenvolvimento humano a aquisição da individualidade, não se dá sem simbiose. Ou seja, o ser humano aprende a ser um “eu” por meio da interação social. Assim, todo o processo de individualização tem uma formação que se dá primeiramente no plano corporal.

No processo de desenvolvimento da aquisição da personalidade a aquisição da palavra é considerada pela psicologia como um marco fundamental.

No entanto, essa aquisição está intrinsecamente conectada com o aparelho psíquico em sua totalidade que envolve movimentos corporais e sons não verbais.

Neste sentido é impossível negar a influência dos transtornos verbais no aparelho psíquico. Para a musicoterapia o ser humano é visto de maneira holística, não se separa o sintoma ligado a comunicação com o resto do corpo.

Desta forma, o musicoterapeuta utiliza a linguagem corpóreo-sonoro-musical nos processos terapêuticos. Por meio da criatividade a musicoterapia permite o autoconhecimento envolvendo o paciente em uma ideia totalizante de espaço corpóreo-sonoro-musical compartilhado.

Por outro lado, a musicoterapia também oferece exercícios específicos relacionados com a linguagem verbal e não-verbal.

Características da afasia e hemisfério cerebral

Basicamente, os dois hemisférios cerebrais têm funções bastante diferentes. A princípio, na maioria das pessoas, o hemisfério esquerdo tem um papel preponderante na linguagem.

Por outro lado, o hemisfério direito tem funções especializadas, cujo interesse é recente nas pesquisas neurológicas.

Podemos ver um quadro comparativo entre o hemisfério esquerdo (dominante) e o hemisfério direito (hemisfério menor)

Hemisfério dominante

Hemisfério menor

Conexão com a consciência

Não há tal conexão

Verbal

Quase não verbal

Descrição linguística

Musical

Ideativo

Sentido pictórico e de formas

Semelhanças conceituais

Semelhanças visuais

Análise ao longo do tempo

Síntese ao longo do tempo

Análise de detalhe

Holístico- imagens

Aritmético e computador

Geométrico e espacial

Vale lembrar que a partir dessas determinações genéticas, existe a possibilidade por meio do aprendizado e de ações terapêuticas da transferência de funções e aptidões de um hemisfério a outro.

Segundo J. Eccles o aprendizado substitui a herança no desenvolvimento da participação hemisférica da função.

Neste sentido a musicoterapia se aproxima das manifestações corpóreo-sonoro-musical, trabalhando de forma holística em direção à identidade sonora de cada paciente.


Musicoterapia - Revista Interativa

Tipos de afasias

A musicoterapia considera o estudo do complexo som-ser humano como fundamental para o tratamento da afasia. Neste sentido, o tratamento musicoterapêutico aponta para a recuperação do paciente com transtornos da linguagem e da comunicação em geral.

Incluem-se nesse aporte comunicativo as agnosias auditivas e corporais. Assim existem dois tipos de afasias que se incluem nesse amplo espectro a expressiva e a receptiva.

  • Afasia expressiva: O paciente tem dificuldades com a expressão verbal. Esta afasia está relacionada com a afasia motriz, afasia motora eferente e síndrome de desintegração fonética.

  • Afasia receptiva: Perda de memória das imagens auditivas da palavra. A característica desse sintoma é a perda de compreensão da linguagem.

Síntese do tratamento musicoterapêutico de afasias

Basicamente, são diversos os objetivos terapêuticos da musicoterapia. Um grupo desses objetivos está relacionado com a percepção e expressão de emoções.

Neste sentido, o dr Rolando Benenzon, um dos mais importantes pesquisadores dessa práxis, afirma que “a musicoterapia é uma técnica de comunicação que utiliza o som, a música e o movimento como objetos intermediários; e que esses elementos pré-verbais e não-verbais permitem retroceder a comunicação e estados

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

留言


bottom of page