top of page

Novos Suportes para a Educação Musical


Este texto focaliza para a utilização de novos instrumentos ou suportes para a educação musical. Estes materiais podem se dividirem em materiais concretos como desenhos, gráficos, partituras espaciais ou de chão, e outros que explicarei nesse texto.

Por outro lado, esses suportes, também podem se configurar em metodologias novas. Como é o caso da metodologia por projetos pesquisada e apresentada pelos autores Fernando Hernández e Montserrat Ventura.

Codificação do som para propostas inclusivas

O som possui alguns parâmetros que descrevem a suas características tais como a sua intensidade sonora fraca ou forte, a sua frequência entre sons graves e agudos, a duração curta ou longa e o seu timbre que se refere a sua origem se ele veio de uma fonte sonora como um violino, ou de um violão ou outras.

Os estudiosos de música em sua tradição teórica elaboraram muitos códigos para grafar todas essas características dando origem às partituras. Porém, quando se trabalha com crianças, e com públicos que possuem dificuldades emocionais e cognitivas é preciso utilizar codificações mais concretas.

Codificações concretas

A codificação musical mostra principalmente a relação da música com o tempo. Neste sentido, essa codificação mostra que a arte musical se desenvolve no tempo por meio de um material espacial, pois as partituras são espaciais e matemáticas por se estabelecerem em um sistema de proporções, principalmente no que diz respeito à notação rítmica.

Isto significa que eu posso, por exemplo, mostrar a duração de um determinado som por meio de um material concreto que interfira no espaço – um barbante de um determinado tamanho, que eu estique no chão, pode representar uma duração sonora determinada.

Neste sentido, no momento que alguém passe sobre o barbante, a duração dessa ação representa a duração de um som. Assim, alguém pode passar sobre o barbante, e durante essa passagem alguém ou um grupo pode emitir algum som, seja em instrumento ou com voz. A partir dessa atividade temos uma representação concreta da duração sonora.

Freepik

Ideia básica do material concreto em música

A principal ideia da utilização desse material é formar no público de uma atividade ou oficina, o conceito de música como percurso no espaço e no tempo. Assim, a música é especificamente uma arte temporal mas também é um fenômeno que se desloca no espaço, fato que nos é perceptível pela audição.

Este material mostra a sucessão e a simultaneidade dos sons e também as variações de suas características, se são fortes, fracos, curtos, longos, agudos ou graves e outras. Portanto, eu posso mostrar todas essas variações dos sons, com materiais visuais.

Para crianças, portadoras de transtornos emocionais e cognitivos, essa proposta beneficia a elas, uma melhor organização no tempo.

A feitura deste material pode ser realizada com vários materiais como barbantes, fitas crepes, marcações de papéis e cartolinas e outros suportes. No entanto, este material pode até ter participação das crianças no processo de sua feitura.

Contudo, vale lembrar que o espaço mais útil para a distribuição desse material é o chão aberto e sem móveis de uma determinada sala, ou até em áreas abertas, como jardins ou pátios.

Pedagogia de projetos como suporte

Esta proposta visa à assimilação dos alunos do entendimento global dos sons, por meio de interações sonoras de suas vozes e movimentos corporais. Neste sentido, para muitas crianças é imprescindível para o seu entendimento musical, a percepção sonora por atos de perceber-se e perceber o outro.

Em uma metodologia de projeto o principal objetivo é trabalhar em torno de uma temática. Podemos escolher, por exemplo, o tema sobre uma viagem de trem.

Assim, todos nós sabemos que uma viagem de trem se desenvolve no tempo e no espaço, sobre uma linha férrea, que existem muitas paisagens, podendo chover, haver subidas e descidas e outras características espaciais.

Quando comparamos estes perfis de uma viagem com a elaboração de uma música, muitos fatores são correspondentes na viagem e na música, e essa correspondência promove um nível de aula com mais qualidade de interação social.



Conclusão

Dentro de uma perspectiva de projetos são infinitas as temáticas que podemos trabalhar para tornar mais concretos conceitos musicais que são por vezes, muito abstratos. Vale lembrar que as correspondências entre eventos da realidade e os sons são naturais, pois o som faz parte dos fenômenos, como princípios físicos da vibração e do deslocamento de ondas sonoras.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page